CLICK em MARCADORES (no lado direito) para encontrar o assunto que deseja.

Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 8 de março de 2015

Uso de instrumentos na igreja primitiva e nos tempos dos pais da igreja

 ÚLTIMA FRASE: "E se você desejar cantar e tocar harpa ou lira, não há censura nisso!



Introdução
A história mostra que ao longo dos séculos o louvor a Deus no Cristianismo sofreu variações. Até o segundo ´seculo não era proibido o uso de instrumentos, mas a partir do terceiro século o uso do instrumento foi proibido. Depois de muito tempo o uso de instrumentos musicais teve seu uso implementado nas igrejas.

A igreja primitiva  (1º século) não teve influência da sinagoga, pois esta na verdade não fazia uso nem do canto nem de instrumentos musicais. Porém os pais da igreja primitiva a partir do 3º século acabaram por retomar a proibição de uso de instrumentos musicais, talvez sim por influencias de escritos judaicos como de Filon de Alexandria. ( Click e veja um estudo completo sobre o culto na sinagoga )  http://musicagospelcontemporanea.blogspot.com.br/2015/02/musica-no-judaismo.htm




1º seculo:


  • As referencias sobre o louvor a Deus no Novo Testamento são genéricas, o que pode ou não incluir o uso de instrumentos musicais. O Novo Testamento não  especifica que deve se fazer o uso apenas do canto vocal no louvor a Deus. Ou seja, não é especificado se devemos louvar ao som de algum instrumento ou sem ele
Tiago 5:13  Está alguém entre vós sofrendo? Faça oração. Está alguém alegre? Cante louvores.Efésios 5:19  falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais,Colossenses 3:16  Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.

  • As referências sobre instrumentos musicais no Novo Testamento aparecem explicitamente no Livro do apocalipse. 
Ap 5:8 e, quando tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos,
9 e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação
Objeção: O livro de Apocalipse é simbólico, portanto não se pode utilizar deste texto para se referir ao uso de instrumentos no céu.
Resposta:
  • O livro de Apocalipse faz sim uso de símbolos, mas cada um deles tem seu significado.
  • nesta passagem algumas coisas são explicitametne literaiscântico, o livro
  • outras são simbólicas, mas se referem a dados da realidade: incenso= orações, cordeiro= Jesus Cristo, 4 seres viventes e os 24 anciãos = criaturas de Deus.
  • harpa faz referência imediata a adoração com música!!  Se Deus condenasse a musica instrumental não faria de um instrumento musical o símbolo da adoração celestial!!
  • O termo 'salmos' pode incluir também o uso de instrumentos musicais
"psallo...'tocar instrumento de cordas com os dedos' , e por conseguinte, na Septuaginta'cantar com a harpa, cantar salmos' (Dicionário Vine p.967, CPAD)
"Na LXX [Septuaginta], psallo e psalmos representam, de modo geral, o heb. zamar ou nagan, ... geralmente, a referência diz respeito aos Salmos do nosso Saltério...
Pode se tomar por certo que, pelo menos durante o período do AT, o cantar dos Salmos sempre era acompanhado por instrumentos musicais.. Além disso, psalmos pode significar qualquer cântico espiritual, sendo mencionado um acompanhamento musical, ou não (cf. Sl 33[32]:2)."  ( Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento,p. 272)
"um tocar, um vibrar, p. ex. de uma corda de um arco,...; de instrumentos de cordas, um execução, música, Anthol. Gr. II. p. 73,74. IV. p. 257; tom ,melodia, compasso, como tocado,...No uso posterior, cântico, em sentido próprio e literal como acompanhado de instrumentos de cordas, Josepho Antiguidades 6.11.3... "Léxico Grego Edward Robinson, CPAD, p. 996
33.111...cantar cânticos de louvor, com a possível implicação de acompanhamento instrumental ( no NT, muitas vezes relacionado com o entoar de salmos do AT)- "cantar, cantar um salmo, entoar um cântico de louvor, cantar louvores"(Léxico Grego-Português do Novo Testamento baseado em domínios semânticos, SBB)
 Léxico de Strong:5568 psalmosde 5567; TDNT-8:489,1225; n m1) toque, ato de fazer vibrar e produzir som1a) do toque das cordas de um instrumento musical1b) de um canção piedosa, um salmoSinônimos ver verbete 5876..."Enquanto a idéia principal de 5568 é um acompanhamento musical, ""
psallo 5567provavelmente, forma reforçada de psao (esfregar ou tocar a superfície, cf 5597); TDNT-8:489,1225; v 1) tirar, arrancar 2) fazer vibrar pelo toque, produzir som agudo ou metálico 2a) tocar ou bater a corda, vibrar as cordas de um instrumento musical, de modo que ressoem suavemente 2b) tocar num instrumento de corda; tocar, a harpa, etc. 2c) cantar ao som da harpa 2d) no NT, cantar um hino,   os louvores de Deus em canção
  • o livro apócrifo Odes de Salomão, uma coleção de quarenta e duas composições de hinos escritos em siríaco provavelmente durante o primeiro século ou no mais  tardar no iníco do 2º , contém várias referências à cítara e composição musical como um meio aceitável para louvar a  Deus. http://www.newadvent.org/cathen/14137a.htm
Objeção:
 1-Os instrumentos musicais são cerimoniais, pois estavam ligados ao Templo ou  à arca.(2 Cr 29: 25-28). Quando o sacrifício começou, o uso de instrumentos musicais pelos Levitas também iniciou. Quando a oferta terminou, o uso de instrumentos também cessou. 
2- Na verdade o uso específico de instrumentos musicais era restrito a certo grupo de Levitas

Resposta:
  • Sim, pois este era o ritual do culto no templo judaico. mas existiam o culto fora do templo!!!
  • Profetas utilizavam de flautas, saltérios e tambores!!!Para louvar a Deus e profetizar sem conexão a arca ou ao templo
 1Samuel 10:5  Então, seguirás a Gibeá-Eloim, onde está a guarnição dos filisteus; e há de ser que, entrando na cidade, encontrarás um grupo de profetas que descem do alto, precedidos de saltérios, e tambores, e flautas, e harpas, e eles estarão profetizando.2Rs 3:15  Agora me tragam um músico. Enquanto o músico tocava harpa, o poder do SENHOR Deus veio sobre Eliseu,Assim os Salmos incentivam de vários instrumentos no louvor a Deus (sem menção a templo ou arca)
 Sl 33:2 Celebrai o SENHOR com harpa, louvai-o com cânticos no saltério de dez cordas.Sl 81:1 ¶ Cantai de júbilo a Deus, força nossa; celebrai o Deus de Jacó.2  Salmodiai e fazei soar o tamboril, a suave harpa com o saltério.
Sl 92:1 ¶ Bom é render graças ao SENHOR e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo,2  anunciar de manhã a tua misericórdia e, durante as noites, a tua fidelidade,3  com instrumentos de dez cordas, com saltério e com a solenidade da harpa.
Sl 98:5  Cantai com harpa louvores ao SENHOR, com harpa e voz de canto;6  com trombetas e ao som de buzinas, exultai perante o SENHOR, que é rei.;
Sl 43:4  Então, irei ao altar de Deus, de Deus, que é a minha grande alegria; ao som da harpa eu te louvarei, ó Deus, Deus meu.
Sl 57:7-9 ¶ Firme está o meu coração, ó Deus, o meu coração está firme; cantarei e entoarei louvores.8  Desperta, ó minha alma! Despertai, lira e harpa! Quero acordar a alva.9  Render-te-ei graças entre os povos; cantar-te-ei louvores entre as nações.
Sl 71:22  Eu também te louvo com a lira, celebro a tua verdade, ó meu Deus; cantar-te-ei salmos na harpa, ó Santo de Israel.
Sl 108:1 ¶ Firme está o meu coração, ó Deus! Cantarei e entoarei louvores de toda a minha alma.2  Despertai, saltério e harpa! Quero acordar a alva.3  Render-te-ei graças entre os povos, ó SENHOR! Cantar-te-ei louvores entre as nações.
Sl 149:9 ¶ A ti, ó Deus, entoarei novo cântico; no saltério de dez cordas, te cantarei louvores.
Sl 147:7  Cantai ao SENHOR com ações de graças; entoai louvores, ao som da harpa, ao nosso Deus,
Sl 149:3   Louvem-lhe o nome com flauta; cantem-lhe salmos com adufe e harpa.
Sl 150:3  Louvai-o ao som da trombeta; louvai-o com saltério com harpa.4  Louvai-o com adufes e danças; louvai-o com instrumentos de cordas e com flautas.5  Louvai-o com címbalos sonoros; louvai-o com címbalos retumbantes.

Conclusões
  • A partir dos textos do Novo Testamento não dá para saber se os primeiros cristãos usavam ou não instrumentos na adoração, pois as instruções não são específicas para o uso somente do canto vocal. São expressões genéricas.
  • se fosse errado o uso de instrumentos musicais no Novo Testamento, Deus não utilizaria da Harpa para representar a adoração feita no céu!!! 
  • além disso os instrumentos musicais não são tipológicos e assim não tiveram sua aplicação apenas no Antigo Testamento e não estavam necessariamente ligados à sacrifícios ou a arca como afirmam alguns.
  • mesmo que a igreja primitiva  tivesse utilizado apenas o canto vocal, isto não seria padrão para nós, pois:
"Se houve omissões concernentes à música instrumental e à dança, isto não precisa ser necessariamente entendido, como alguns fariam, como um sinal de que eram erradas, visto serem usadas nos rituais gregos acompanhados de orgias, .... Isto pelo seguinte: a Igreja Primitiva era sempre uma hóspede temporária, alojada temporariamente em casas, navios, praias e praças públicas. Estava frequentemente escondida daqueles que tentavam eliminá-la. Ela não tinha tempo para coisa alguma a não ser para os mais simples meios musicais e atividades em sua prática de adoração.Mais importante ainda, certos tipos de música devem ter sido evitados, não devido à iniquidade inerente, mas pela forte associação nas mentes daqueles que vieram de experiências pré- cristãs, quer judeus quer pagãos....A distinção entre o conceito pagão de permissividade das coisas, e o conceito cristão do discernimento entre uma coisa e outra- nenhuma das quais em si mesmas impura (Rm 14:14), embora não permitidas- anula qualquer opinião que afirme que aIgreja Primitiva tivesse estabelecido um padrão rígido, imutável e limitado." (Enciclopédia da Bíblia Cultura Cristã- vol. 4, Editora Cultura Cristã, p. 418, 2008.)

2º século:

Durante o segundo século, havia ainda referências positivas para instrumentos musicais e nenhuma objeção ao uso de instrumentos musicais


Inácio de Antioquia (c. 50-117 d.C)  Ele usou o harmonia da harpa alegoricamente para promover a unidade entre a igreja e seu bispo, pois :
"o[ bispo] está em sintonia com os mandamentos  assim como uma harpa com suas cordas. "  “Carta aos Filadelfos,”
 Pseudo-Justin comparou a inspiração e música, vendo o Espírito 
"descer do céu como uma palheta e usando aqueles apenas os homens como um instrumento como a cítara ou lira ".1, “Hortatory Address to the Greeks,” in McKinnon, Early Christian Literature, 21.
Obs* Existe uma obra intitulada "Respostas para Ortodoxo" que erroneamente foi atribuída à Justino Mártir, mas ela é do séc. IV, cujos candidatos à autoria são Diodoro de Tarso e Teodoreto 
 "Respostas para Ortodoxo "foi re-editado de uma forma diferente e mais primitiva forma por Papadopoulos-Kerameus ( St. Petersburg , 1895), a partir de um manuscrito de Constantinopla  que atribuiu o trabalho a Teodoreto . Embora esta atribuição foi adotada pelo editor, não tem sido geralmente aceita. Harnack estudou profundamente esses quatro livros e mantém, não sem probabilidade, de que eles são o trabalho de Diodoro de Tarso (Harnack, "Diodor von Tarso ., Vier pseudojustinische als Schriften Eigentum Diodors nachgewiesen "em" Texte und Untersuch "., XII, 4, Leipzig, 1901).   http://www.newadvent.org/cathen/08580c.htm
 "Somente o canto vocal não é agradável para as crianças, mas sim cantar com os instrumentos sem vida, dançar e bater palmas; o que é relevante na utilização deste tipo de instrumento e outras agradáveis ​​para as crianças é abandonado nas músicas nas igrejas,   e só resta simplesmente o cântico."


3º século

Três áreas influenciaram os pais da igreja em relação aos  instrumentos:
(1) as tradições judaicas,O Judaísmo tinha proibido música instrumental (e também vocal) desde a destruição do templo, como uma demonstração de luto.  
 (2) a cultura pagãs 
(3) as religiões do Império Romano,
Em primeiro lugar, os pais  da igreja,a partir do terceiro século reconheceu as tradições judaicas de proibição instrumentos e desprezo pelo uso deles por parte de Filon de Alexandria. E para interpretar o Antigo Testamento, a maioria deles recorreu ao uso de alegoria. 
Filo de Alexandria (20 aC-50 dC), um judeu com uma educação grega, acreditava que a música não podia ser utilizados no culto, porque se o adorador é preenchido com Deus, então "todos os outros onerosa e odiosa ruídos deveriam cessar. " ( Philo of Alexandria, “Legun allegorianum II,” in Quasten, Music and Worship, 54)
Além disso, de acordo com Filo, a única razão pela qual os judeus sabiam música era porque Moisés tinha aprendido e trouxe emprestado dos Egípicios. ( Quasten, Music and Worship, 65.)
Em segundo lugar, como parte da cultura romana, música instrumental teria florescido em marchas
e em banhos, em arenas e em teatros, assim como em casas particulares. A lascívia e a licenciosidade 
dominavam estes ambientes. Os pais da igreja diziam que os instrumentos musicais dispertavam as paixões carnais.

Em terceiro lugar a música instrumental era suada em cultos pagãos para louvar os deuses, afastar maus espíritos e atrair bons presságios, bem como para invocar espíritos.
Assim os pais da igreja passaram a fazer um contraste entre o simples culto cristão e os elaborados cultos pagãos.



Clemente de Alexandria (c. 165-215 AD)  "The instructor, livro 2 cap. 4:   


Porque, se as pessoas ocupam o seu tempo com os tubos (corneta ?), e alaúdes , e coros e danças, e com o  bater palmas das mãos egípcio, e essas frivolidades desordenadas, tornam-se bastante imodestas e intratáveis; batem nos címbalos e tambores, e fazem um barulho com instrumentos de ilusão ; claramente como um banquete, como me parece, é um teatro de embriaguez . O apóstolo declara: " deixando as obras das trevas, devemos vestir a armadura de luz, caminhando honestamente, como de dia, não gastar o nosso tempo em glutonarias e bebedeiras , em impudicícias e dissoluções". Romanos 13: 12-13 .Deixe o tubo(corneta?) ser conformado aos pastores, e a flauta ao supersticioso que estão envolvidos em idolatria . Pois, na verdade, esses instrumentos devem ser banidos do temperado banquete, sendo mais adequado para os animais do que os homens , e para a parte mais irracional da humanidade . Porque temos ouvido dos veados sendo encantados com a flauta, e seduzidos nas armadilhas, quando caçados pelos caçadores . E quando as éguas estão sendo cobertas, uma música é tocada na flauta- um canto nupcial, por assim dizer. ...

O Espírito , distinguindo dessa folia, a liturgia divina, canta:' louvai-o com o som da trombeta' pois com o som da trombeta Ele deve ressuscitar os mortos. 'Louvai-o sobre o saltério' ; pois a língua é o saltério do Senhor . E 'louvai-o com a lira'. Até a lira se entende como a boca atingida pelo Espírito , como se fosse por uma palheta. Louvor com o tamborim e a dança , refere-se à Igreja meditando sobre a ressurreição dos mortos na pele retumbante. 'Louvai- nas cordas e órgão'. Nosso corpo Ele chama um órgão, e os nervos são as cordas, pelo qual ele recebeu tensão harmoniosa, e ao ser atingido peloEspírito , ele emite vozes humanas. 'Louvai-o nos címbalos'. Ele chama a língua o prato da boca, o que ressoa com a pulsação dos lábios. Por isso, Ele clamou a humanidade 'Que cada ser que respira louve ao Senhor' , porque Ele cuida de cada ser que respira, que Ele mesmo fez. Pois o homem é verdadeiramente um instrumento pacífico; enquanto outros instrumentos, se você investigar, você vai encontrar belicoso, inflamando a luxúria , ou acender-se em aventuras amorosas, ou despertando a ira .

Em suas guerras , portanto, os etruscos usam a trombeta, os arcadianos a corneta (tubo), os sicilianos os pectides, os cretenses a lira, os lacedemônios a flauta, os trácios o trompete, os egípcios o tambor, e os árabes o címbalo. Com um instrumento de paz, a Palavra sozinha pelo qual ,nós honramos a Deus , é o que nós empregamos. Nós já não empregar o antigo saltério , o trompete, o tamboril e flauta, que os especialistas em guerra e desprezadores do temor de Deus costumavam também fazer uso nos coros em suas festivas assembléias; que por essas gama de variedades possam aumentar as suas mentes abatidas .o presente caso, ele é um convidado com a gente. Para apóstolo acrescenta novamente, Ensino e admoestando uns aos outros com toda a sabedoria, em salmos , e hinos , e espirituais canções, cantando com graça em seu coração para Deus . E mais uma vez, que quer que você faz em palavra ou ação , fazei-o em nome do Senhor Jesus , dando graças a Deus e Seu Pai. Esta é a nossa festa de ação de graças. E mesmo se você quiser cantar e tocar a harpa ou lira, não há culpa. Você deve imitar os justo rei hebreu em sua ação de graças a Deus . 'Alegrai-vos no Senhor , vós justos; decoroso é o louvor para os retos, diz a profecia .' Confesse ao Senhor com a harpa; toque para ele no saltério de dez cordas. Cantai ao Senhor um cântico novo'. E não é que o de dez cordas saltério indicar a Palavra de Jesus , que é manifestada pelo elemento da Década?"           http://www.newadvent.org/fathers/02092.htm
  • Na verdade Clemente afirma que a prática comum era a ausência de instrumentos, mas diz não ser pecado o uso deles na adoração, ao contrário dos sites que citam apenas partes deste texto. Ele era seguidor da subjetiva interpretação alegórica.
Novaciano (dc AD 258) afirmou que o tocador de tíbia [instrumento romano associado à flauta]:
"Esforçam para falar com os dedos, ingratos ao Artífice que lhes deu uma língua ... Mesmo que essas coisas não foram consagradas aos ídolos, os fiéis cristãos não deveriam mentefrequente e observá-los, pois mesmo se não houvesse nada de criminoso sobre eles, têm em si uma total inutilidade pouco adequada aos crentes". (Novation, “De Spectaculis,” in McKinnon, Early Christian Literature, 48.)

 Tertuliano (AD 160 220)
protestou contra o uso de trompetes em funerais militares pagãos, ainda em sua descrição da alma,
 a alegorizou  com o  hydraulos como um exemplo de uma entidade unificada com diversas partes.(McKinnon, Early Christian Literature, 45.)

PseudoOrigen
"Os instrumentos musicais do Antigo Testamento não são inadequados para nós se entendidos espiritualmente " (Pseudo-Origen, “Selecta in psalmos XXXII,” in McKinnon, Early Christian Literature, 38. e, "As cordas são a harmonia do som equilibrado das virtudes e instrumentos. " (Pseudo-Origen, “Selecta in psalmos CL,” in McKinnon, Early Christian Literature, 39.)

Quarto Século
 Este século representou o ápice do literatura anti-instrumental, havia pouca consistência no raciocínio ou explicação. 
Eusébio de Cesaréia (269-339 AD)
"Quando antigamente o povo da circuncisão adorava por meio de símbolos e tipos, não era inapropriado que eles levantaram hinos a Deus com saltérios e cítara, e que eles fizessem isso nos dias de sábado, ... Nós, no entanto, mantemos a lei judaica, interiormente, conforme a palavra do Apóstolo: "o verdadeiro judeu não é o que o é exteriormente, '... E assim seria mais docemente agradável a Deus do que qualquer instrumento musical  ...levantarmos melodia em uníssono no nosso salmodiar com uma mente e unanimidade de fé e piedade, . " (Eusébio de Cesaréia, "In psalmum xci", em McKinnon, Early Christian Literature, 97-98)

  Gregory de Nazianzo ( 329-389AD.)
 "Aquilo que não pode ser misturado não é combinado ou identificado; nem os bispos com jograis, nem orações com dança, nem salmos com flautas  " Gregory of Nazianzus, “Epistle CCXXXII,” in McKinnon, Early Christian Literature, 72.
Cânones de Hipólito
 "Quem executa em um teatro ou é um lutador ou um corredor ou um professor de música ... ou é um caçador ou um treinador de animais ... nenhuma deles pode ser autorizado a assistir um sermão até que tenham sido purificado destas obras imundos. Depois de quarenta dias eles podem ouvir um sermão. "(Anon., "Cânones de Hipólito", em Johannes Quasten, Música e Adoração em Pagan e Christian Antiguidade, trans. Boniface Ramsey (Anon., “Canons of Hippolytus,” in Johannes Quasten, Music and Worship in Pagan and Christian Antiquity, trans. Boniface Ramsey (Washington: National Association of Pastoral Musicians, 1983), 127. .)
Ambrose (c. 337 AD 97) : 
"Salmos estão sendo cantados, e você pega o saltério ou o tímpannum [instrumento musical]? Ai de vós, na verdade, porque você abriu mão da salvação e escolheu a morte. "  Ambrose, “ e Helia et ieiunio XV,” in McKinnon, Early Christian Literature, 128-29.

 Cânones de Basil:
"Se um lector aprende a tocar violão [cítara] ele deve ser ensinado a confessá-lo ... Se ele continuar nisso ele será excomungado e colocar para fora da igreja. " "Pseudo-Basil, “Canons of Basil,” in Quasten, Music and Worship, 75.
Evágrio do Ponto (AD 346-99):
 "As muitas cordas trazidas juntas em harmonia, cada um ordenado musicalmente em seu devido lugar, são os  muitos mandamentos e as doutrinas sobre muitas coisas, que não apresentam  contradição entre eles. O instrumento que  abraça tudo isso é a alma dos homens sábios em Cristo. " Evagrius of Pontus, “Selecta in psalmos CL,” in Music, Instruments in Church, 30.
Basílio de Cesaréia (AD 330 79)
 ", das artes inúteis está o  tocar a harpa, dança, flauta, dos quais, quando cessa a operação, o resultado desaparece com ela. E, de fato, de acordo com a palavra do apóstolo, o resultado disso tudo é a destruição. " (Basil of Caesarea, quoted in Piero Weiss and Richard Taruskin, eds., Music in Western World: A History in Documents (New York: Macmillan, 1984), 27.)
O clero "não deve olhar para o  espetáculos em casamentos, ou em banquetes, mas eles devem levantar-se e sair de lá antes da entrada dos músicos. " Anon., “Canons of Laodicea,” in McKinnon, Early Christian Literature, 11  http://www.newadvent.org/fathers/3806.htm  (CÂNON 54)

Quinto Século
.
Os pais da igreja primitiva continuaram a rejeitar instrumentos musicais. 

Epifânio de Salamina (c. 315-403 dC),
"A própria flauta  como mais uma cópia da serpente através do qual o maligno falou e enganou Eva ... E veja o que o próprio flautista representa; ele joga a cabeça para trás como ele joga e se inclina para a frente, ele inclina-se para a direita e esquerda, como a serpente. " Epiphanus of Salamis, “Panarion XXV,” in Music, Instruments in Church, 40

 Jerome (A 347 402), disse que um jovem cristão  não deve saber o que uma lira ou flauta são, nem o seu propósito. (Dickinson, Music in the History, 55.)

Teodoreto de Ciro
 "instrumentos e outras coisas que tais apropriada para aqueles que são infantis ... dispensada nas igrejas e cantando sozinho foi deixado over. "Teodoreto de Ciro, "Quaestiones et responsiones ad Orthodoxos CVII,"


João de Crisóstomo (347-407) atacou música instrumental como uma
remanescente injustificada da idolatria egípcia. Crisóstomo disse que Deus
"permitiu que esses instrumentos, então, para esta razão: por causa de sua fraqueza, e porque ele queria para temperar-los com amor e harmonia ... Para conhecer o seu descuido, preguiça e descuido, Deus quis despertá-los pela estratagema, que mistura a doçura da melodia com o esforço de prestar atenção. (João de Crisóstomo, "Twelfth Homilia em 1 Coríntios," em Philip Schaff, ed., Nicéia e Pós-Nicéia Fathers, vol. 12 (Grand Rapids: Eerdmans, 1989), 69-70.)

Teodoreto de Ciro (c. 393-457 A)
"Sabemos que Deus não tem prazer em canções e música, porque ele diz para os judeus:'Longe de mim com o estrépito dos teus cânticos; o som de seus instrumentos Eu não desejo para ouvir (Amós 5:23). "Mas quando este continuou a acontecer ele permitiu que uma vez que ele desejava removê-los do engano da idolatria. Para uma vez que havia muitos devotos da musica e riso, que teve lugar nos templos dos ídolos, ele permitiu a este, a fim de atraí-los para si mesmo e assim através de um mal menor para evitar um maior mal.(Theodoret of Cyrus, “Psalm 150,” in Quasten, Music and Worship, 64.)

Agostinho (AD 354 430)
  "A carne trabalhando o divino é o saltério; a carne inflexível da humanidade é o
cítara. "
( Augustine, “Enarrationes in Psalmum LVI,” in Music, Instruments in Church, 32.)

Niceta de Remesiana (c. 337-414 dC)
  "As instituições corporais foram rejeitadas, como a circuncisão, o sábado, os sacrifícios, discriminação em alimentos. Assim, também, os trompetes, harpas, címbalos e tamborins. Para o som destes nós agora temos um substituto melhor na música da boca dos homens. "Niceta of Remesiana, “ e utilitate hymnorum,” in Roy Joseph eferrari, ed., The Fathers of the Church, trans. Gerald Walsh (New York: Fathers of the Church Inc, 1949), 71

Cirilo de Alexandria (c. 376-444 AD)
Psalmos significa uma expressão musical para o qual o instrumento é tocado ritmicamente de acordo com a as notas harmônicas " Cirilo de Alexandria, "Lexicon", no Werner, Ponte Sagrado, 318. 13. 
João  Crisóstomo (347-407)
"Nada  desperta tanto a  a alma, dá asa, define-o livre da terra ... como  a melodia e a harmoniosa música sacra composta em ritmo ... Aqui não há necessidade da cítara, nem cordas esticadas, nem de palheta e técnica, nem qualquer tipo de instrumento. " John of Chrysostom, “In psalmum xli,” in McKinnon, Early Christian Literature, 80-81



Conclusão

A partir do século 3 surgiu a oposição aos instrumentos musicais, proibindo o ensino e aprendizagem de instrumentos musicais:
  •  em oposição aos cultos pagãos : os instrumentos eram usados no mundo pagão em  cultos orgíacos. atrair bons presságios, afastar maus espíritos e invocar os deuses
  • em oposição às festas licenciosas: teatro,marchas, banhos, arenas, etc.
  • apelando para o uso da interpretação alegórica
  •  por influência dos escritos de Filo de Alexandria.

"O serviço da Sinagoga foi revolucionário e único, pois consistia em ler e meditar sobre um livro, em vez de nos ritos primitivos de sacrifício de sangue, dança orgiástica, encantamento, e adivinhação, todos empregando instrumentos. A oposição consciente de instrumentos veio mais tarde, tanto o judaísmo e o cristianismo. Resultou de uma comparação inevitável entre um rito que não utilizar instrumentos e o ritos gentios ou pagãos que faziam uso. E, no caso do cristianismo a questão da imoralidade sexual contribuiu e ainda ofuscado as motivações decorrentes de uma comparação de cultos."        http://www.catholicculture.org/culture/library/view.cfm?recnum=9134

Leitura recomendada:

 1- http://theweatherlyreport.blogspot.com.br/2012/05/instrumental-music-in-church-history.html

2- https://biblicalspirituality.files.wordpress.com/2010/03/ancient-fathers-on-instrumental-music-by-david-vanbrugge.pdf
A única ressalva é que esse autor pensa que os gregos faziam oposição à musica instrumental, mas na verdade Platão e Aristóteles se opunham à apenas alguns instruementos (havendo desacordo entre eles) como pode ser verificado neste artigo: http://www.revistas.usp.br/discurso/article/view/62912/pdf_40



5 comentários:

  1. Cânticos são vocais e não instrumentais.
    Acredito que esta analise da história esta ao contrário nos primeiros 2 séculos não tinha instrumentos e sim a partir do 3.
    Os textos bíblicos usam o termo cantar e não tocar.
    Fruto de lábios é a referência do livro de hebreus.
    E a ultima coisa é que a igreja primitiva cantava, como nas referências citadas em Tg, Ef, Cl, Hb. Após instituir a ceia Jesus e os ap. cantaram.

    ResponderExcluir
  2. 1-o cântico pode ter acompanhamento musical veja o que diz a bilbia:
    Ap 5:8 e, quando tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos,
    9 e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação

    2-As evidências acima NÃO NOS LEVA a conclusão que a igreja não usava instrumentos ou que se não usavam ela estabeleceu um padrão rigido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A música deve ser usada inteligentemente

      Ivone Boechat


      O cérebro humano está cansado e agredido pelo excesso de informações. A tv se encarregou de saturar, incessantemente, com sons irritantes; nas ruas, os motoristas buzinam estridentemente, e aceleram forte, produzindo barulho excessivo; os ruídos internos empurram o ser humano para o universo interior das cobranças sociais, e assim estressado pelo trabalho, ele se dirige aos templos para buscar a Palavra, a quietude, a reflexão. Quem não gostaria de orar silenciosamente ao entrar no santuário, ao som de uma musica suave? Quem não gostaria de ouvir um coral, ou cantar com a congregação um hino inspirativo, sem necessidade de tentar superar o barulho do que mais parece um “trio elétrico” de 90 decibéis, prejudicando a audição e a saúde?

      Autoridades especializadas no estudo dos efeitos do som indicam que ruídos em níveis elevados alteram o comportamento humano e não preparam o cérebro para ouvir a mensagem, pelo contrário, interferem na química cerebral, que fica muito alterada. Com toda essa adrenalina a pessoa torna-se incapaz de gravar a mensagem.

      A música é um poderoso fixador da memória: sensibiliza; emotiza (cria entusiasmo); prepara o cérebro para arquivar as mensagens; consola; tranqüiliza; desperta a atenção; estimula a produção dos hormônios que formam o padrão químico das inteligências.
      A música deve ser usada inteligentemente, como recomenda um dos maiores músicos da antiguidade, Rei David:

      “ Pois Deus é o Rei de toda a Terra; cantai louvores com inteligência.” Sl 47:7 .
      "Cantai-lhe um cântico novo, tocai com arte e júbilo." Sl. 33:3

      Excluir
    2. Muito bom! Não há necessidade de som muito alto!

      Excluir